Intimidação e criminalização: pauta permanente do Estado brasileiro

Posted on 30/06/2015

2


Na última sexta, 26/07 a campanha nacional pela libertação de Rafael Braga organizou um sarau na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro. O sarau tinha como objetivo fazer uma atividade cultural que marcasse o dia de sua prisão e também arrecadar fundos para sua família. O evento teve participação de diversos movimentos, organizações e coletivos, que foram até o centro do rio prestar solidariedade. Incrivelmente a polícia enviou para o sarau, seis camburões, uma viatura e membros da cavalaria, numa nítida tentativa de intimidar os presentes. Policiais infiltrados (P2) também tiravam fotos da militância presente e “acompanhavam” a atividade. Rafael não era militante, nem pertencia a nenhuma organização, mas foi preso por ser pobre e negro, portando uma garrafa de pinho sol. Não à toa, é o único já condenado, das jornadas de junho de 2013.

Isso só demonstra o caráter racista da polícia e do sistema judicial brasileiro A luta pela libertação de Rafael Braga é uma luta contra o racismo e a injustiça de classe desse sistema de dominação que os meios de comunicação tentam camuflar. A tentativa de intimidação faz parte de um campanha de criminalização do protesto e da pobreza, assim como da permanente lógica racista do Estado brasileiro. É essa lógica racista, que agora tenta não apenas criminalizar o protesto e a pobreza, mas reduzir a maioridade penal, para encarcerar jovens negros. Na véspera do sarau pela libertação de Rafael Braga, três militantes conseguiram habeas-corpus. O assédio policial e as mudanças na legislação tem como intenção provocar, cercear e intimidar todas/os aquelas/e que representem uma ameaça ao sistema de dominação capitalista (negros, pobres, revoltados/as).

11694003_10200631242659359_2921083326794155511_n

7 viaturas policiais e P2 mobilizados para um simples sarau de solidariedade: é a lógica do Estado brasileiro.

Mão estendida ao companheiro, punho cerrado ao inimigo!
Liberdade para Rafael Braga!
Fim do processo dos 23!